Fisioterapia na Síndrome do Impacto do Ombro

O ombro é uma articulação complexa, e é a articulação que permite mais movimento de todo o corpo humano, é considerada pouco estável especialmente na articulação glenoumeral, sendo necessário harmonia entre todas as estruturas para a manutenção de sua biomecânica normal, pois qualquer alteração poderá evoluir para uma disfunção, sendo a síndrome do impacto (SI) a mais comum em indivíduos adultos.

Esta patologia se apresentará com quadro de dor no ombro, normalmente acompanhada por microtraumatismos e degeneração de estruturas, além do deficit de força muscular e tendinite dos músculos que compõem o manguito rotador, principalmente do supra espinhoso, podendo apresentar ainda um formato anormal do acrômio, estrutura que forma o teto da articulação do ombro.

Alguns fatores que podem predispor os indivíduos a esta síndrome são, a relação com algumas atividades de trabalho, sendo comuns em trabalhadores que exercem funções com o membro superior em elevação por longos períodos, carga excessiva nos membros superiores, vibrações e elevação com abertura dos braços por tempo prolongado, o tipo de atividade esportiva também deve ser considerado, sendo comuns sintomas aparecerem em atletas que praticam voleibol, natação, tênis, dentre outros, os movimentos repetitivos desses esportes podem levar a microtraumas por excesso.

A fisioterapia é um dos métodos de maior importância nesta patologia, tendo como objetivo inicial o controle do processo doloroso e inflamatório, posteriormente readequando a biomecânica através de técnicas de terapia manual, alongamentos e fortalecimento dos músculos do manguito rotador.